• facebook
  • instagram

Agenor Fernandes

11 Aug 2017

 

 

"O Trilha dos Homens foi realmente para mim uma iniciação.

 

Do começo, do primeiro dia e até antes (quando Lula e eu nos conhecemos): uma iniciação à descoberta de mim mesmo.

 

De mim enquanto homem, de mim enquanto energia masculina e energia feminina.

 

 

Ainda tem muito o que se fazer sobre a questão dos meus impedimentos, da vergonha... Quantas vezes a gente dançou e eu tive vontade de dançar mais e ficava assim meio tímido... Sobre essa coisa de cantar também... Eu lembro quando Lula e os meninos faziam isso no grupo e eu achava do caralho e ficava com vergonha de sei lá...

 

E me dar conta do quanto isso é importante para mim, a importância das pequenas coisas, de deixar minha barba do jeito que eu quero, meu cabelo do jeito que eu quero. Feito aquele momento do Raul Seixas, "eu vou fazer as coisas do jeito que eu gosto". Essas coisas simples são o que é a gente de verdade, a essência, a verdade da gente.

 

O Trilha foi um negócio onde pude experimentar muito disso, de poder me conhecer, de poder ver homens também falando de suas fragilidades, de tudo, de ter esse espaço de poder, suas forças obviamente também. E da honra, o que é a honra? A honra não é dar um soco na cara do outro, a honra é estar inteiro.

 

E tudo isso é porque aconteceram muitas coisas ao mesmo tempo comigo. Realmente quando nos conhecemos e eu entrei no Trilha, eu estava nessa de "não tou indo para canto nenhum", então vamos ver, vamos experimentar, vamos ver o que é isso. Digo, porra, encontrei minha galera. Depois de tanto tempo nessa onda meio assim: ah, não sei qual é e tal, encontrei uma galera que tava a fim de olhar para o mesmo lugar que eu estava olhando e de pude entrar por esse caminho.

 

Então para mim foi muito precioso, é muito precioso. Essa experiência é uma coisa que está aqui comigo. E inclusive os apontamentos de "tenho que fazer isso", "tenho que entrar nisso", "tenho que me olhar nesse viés"... Eu aprendi a ter esse olhar com essa experiência no trilha com os meninos, com a gente.

 

É isso: eu encontrei um lugar onde eu pude conhecer mais sobre mim mesmo, ter esse lugar de muita honra, um lugar de muito respeito por mim, pela singularidade de cada um, sem julgar, sem estar certo, sem estar errado, se está feio, se está bonito, de poder ver qual é. Para mim uma experiência onde cresci demais e estou crescendo. E poder reconhecer isso também é um fruto desse trabalho.

 

O Trilha para mim foi essa experiência maravilhosa, e é ainda."

 

Agenor Fernandes, 11/08/2017.

 

 

 

Please reload

Voltar para a página inicial

Resumo CIA: tópicos do módulo 1

14.7.2019

Resumo CIA: 8a base do autoconhecimento

14.7.2019

Resumo CIA: 7a base do autoconhecimento

13.7.2019

1/17
Please reload